17/11/2009

SINAIS UFOLÓGICOS MODERNOS


Atualmente um dos sinais de visitantes Extraterrestres que mais nos deixam curiosos são os “Corp Circles”, ou Círculos Ingleses, que não se limitam mais no exterior, estando presente no Brasil com casos recentes abordados por mídias locais e sites especializados.

Essas curiosas geometrias encontradas com perfeição em plantações começaram a serem percebidas pelo conceito geral a partir da década de 80. Esses “círculos” como são conhecidos popularmente, são muito mais antigos, tendo registro deles desde o século XVI.

O nome “Círculos Ingleses” se dá ao fato de que 98% das cerca de 10 mil figuras encontradas se localizam na Inglaterra, na região próxima ao Monumento de Stonehenge no Sul do país. Os outros 2% são divididos em países como a França, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Rússia e agora o Brasil.

Essas imagens nas plantações mexem com o curioso, desenhos que passam os 300 metros de comprimento e podem conter mais de 200 figuras geométricas diferentes em um só “circulo”, sendo uma total incógnita para alguns pesquisadores e governos, pois, não se tem rastros de quem ou o que os possa ter feito. Além de tudo os padrões dos desenhos mudam a cada ano, por observações feitas em 1994 as imagens seguiam formas nomeadas de “insectogramas” (aranhas, teias, escorpiões, etc.), em 1995 seguiu para imagens semelhantes a planetas e sistemas solares e assim por diante. Nunca se encontrou nenhum vestígio ou pista próxima aos locais que sugerissem como essas obras geométricas foram feitas, algo que desafia continuamente nossa tecnologia.


Corp Circle - Libélula

Tanto impressiona que os “Corp Circles” viraram motivos de exibições artísticas e publicitárias, tendo diversas tentativas de imitá-los, mas nenhum desses desenhos feitos com nossa tecnologia conseguiu chegar aos detalhes das originais que possuem uma precisão espetacular, além disso, todas as cópias ficam cheias de rastros, apontando como foram feitas, algo que os verdadeiros não revelam.


Publicidade do navegador web FireFox

Em todas as agrogramas localizadas, nenhuma resposta conclusiva foi gerada. Algumas organizações e fundações se focam no estudo destes “círculos”, como a Circles Studies na Inglaterra e a Lawrence Rockfeller que direciona altas quantias para as pesquisas. A conclusão tida até o momento é que o solo aponta uma quantidade anormal de Hidrogênio após aparecer às figuras, algo que só poderia ocorrer se recebesse uma alta carga de eletricidade. Também se mostrou que as imagens surgem próximas de sítios arqueológicos que tem milhares de anos e só foram localizados devido à aparição dos “Corp Circles”.

Uma energia não identificada por nossa ciência atual também foi registrada nas áreas que ocorrem o surgimento desses desenhos que se cria em uma noite, ela modifica a forma genética da planta, afetando até as sementes.

As plantas têm seu caule entortado em até 90° (graus), sendo que as plantações onde são feitos as geometrias são de plantas que o caule se quebra ao envergar (cevada, trigo, cânola, etc.). Se alguém tentar levantar a planta ela se quebra e um fator interessante é que elas se deitam em diferentes direções, dentro do mesmo desenho e continuam a produzir na nova posição.




Muitos pesquisadores perceberam que um crescente número de “circulos” tem aparecido perto de usinas nucleares, mostrando talvez certo interesse em apontar seus perigos. Mas em todas as resoluções a questão da possibilidade não terrestre nos “Corp Circles” se levanta, talvez eles sejam feitos por tecnologias Extraterrestres.

Um grande número de testemunhas levanta essa hipótese, fazendeiros e curiosos em saber como eles são feitos acabam por observar bolas de luzes que surgem instantes antes de aparecerem os desenhos, elas se movimentam exatamente em cima da área que dos “círculos”, chegando a ser filmada de forma amadora.

A imagem abaixo mostra um recorte de um tablóide em Londres de 1968, que trás o mistério dos “Corp Circles”, sendo creditado a algum ser demoníaco ceifador.




No inicio Ufólogos davam os desenhos como marcas de pouso das naves, mas com o passar dos anos a complexidade dos desenhos aumentou deixando-os também sem uma resposta especifica de como são feitos.

Essas imagens podem duram até 06 meses sem sumirem, se fossem feitas por tecnologia humana seria impossível, além das bussolas no interior dos desenhos ficarem desorientadas, o que aponta uma anomalia magnética.

No Brasil alguns casos já foram registrados, como em Ipuaçu (Santa Catarina), no dia 29 de Outubro de 2009, em uma plantação de trigo da região. O desenho se assemelha a uma seta, pesquisadores e ufólogos visitaram a área para constatar sua veracidade. A imagem tem 44 metros de comprimento com uma perfeição possível apenas nos reais casos de “Corp Circles”.

Imagens da seta de Ipuaçu - Santa Catarina

Ilustração e medida do Corp Circle de Ipuaçu

Matérias dos casos brasileiros podem ser acompanhadas pelo site: www.ufotvonline.com.br, na área relacionada à Pesquisa Ufológica. Abaixo segue o vídeo da filmagem amadora feita no momento da criação de uma dessas fascinantes marcas deixadas de uma forma a desafiar nossos conceitos e tecnologia. As esferas são conhecidas como “Sonda” pelos pesquisadores ufológicos trata-se de uma tecnologia monitorada por Seres Extraterrestres.

video